Vivendo entre os polos

Bom, com relação aos polos congelados do globo terrestre eu acredito que foi tudo culpa do Dilúvio, mas não é desses polos que quero falar. Quero colocar pra fora algo acerca dos meus polos. Sim, eu tenho polos, dois deles, dentro da minha mente. Um é no topo de uma montanha, o outro fica em um abismo profundo e garanto que o lá de cima é quente, acelerado, falastrão, simpático com todos e cheio de energia; enquanto o lá de baixo é gélido, escuro, profundo, chorão, pessimista e quieto.

Enfim, pra quem porventra ler não ficar boiando, devo dizer que ser bipolar é como ter que matar um leão todo dia pra conseguir viver, pra se manter com vontade de viver. Confesso que às vezes até para exercitar a fé e a confiança na providência Divina e no suprimento das necessidades é preciso se esforçar. O polo negativo (ou gelado) não deixa. É como se a pessoa não mandasse mais em si, na sua mente, nas suas reações diante dos entraves do cotidiano. Uma pessoa pode ser tida como explosiva e perder o controle de seu comportamento às vezes, mas isso é mais fácil para a sociedade compreender. Mas e quem não controla suas reações por uma condição de saúde? Porque é tão difícil de aceitar?

Tudo bem que muita gente se esconde atrás dos transtornos mentais, até eu já fiz isso muitas vezes, e me envergonho ao lembrar, mesmo sabendo que o medo de melhorar e encarar a vida e a autocomiseração é uma fase da doença, existem por causa da doença e não porque a pessoa quer deliberadamente chamar atenção pra si ou dar uma de coitada todas as vezes que tem atitudes que apontam pra esse lado. Às vezes parece que até quem diz que te ama não suporta seu polo ardente seguido de  seu polo congelante com tanta rapidez. Cheguei até a comentar sobre isso no site do Dr. Paulo André Issa em um artigo sobre bipolaridade justamente hoje, quando estou passando por um momento depressivo e meio desesperançoso. Meio não, muito desesperançoso, com ideias tenebrosas. Porque, mesmo medicado, o doente mental está sujeito a períodos de crise por várias razões, pequenas e/ou grandes.

Às vezes a culpa corrói. A culpa de saber que todos que te amam ou que possam vir a te amar um dia vão ter que viver sofrendo o choque térmico que é conviver com  alguém  que sofre desse ou de qualquer outro transtorno. Às vezes não parece justo com as pessoas que você ama. Não parece justo que elas tenham que passar por isso com você. Quando se ama as pessoas se quer o melhor para elas e muitas vezes a vontade é fazer algo pra não sujeitá-las a ter que conviver com você, pois ninguém é obrigado. E se nem você se controla nas crises e nem existem super humanos com paciência ilimitada, o que fazer então? Suicídio é uma opção cogitada p or quem está absurdamente doente, mas é pecado e mais um grande et cetera. Isolamento hoje em dia é quase impossível e ainda nada viável pois gera desconfiança e preocupação justamente nas pessoas às quais você quer poupar. Fica difícil saber o que fazer às vezes.

Embora a razão e a fé digam: ” E o vosso coração se alegrará, e a vossa alegria ninguém vo-la tirará.” (Jo 16:22a), alguma coisa fica gritando aqui dentro: “E a minha vida se aproxima da sepultura.(Sl 88:3). Embora a metamorfose aconteça, às vezes as borboletas parecem vespas. Talvez eu esteja precisando parar de mendigar compreensão, paciência e amor  das pessoas que me rodeiam, mesmo daquelas que eu amo e que dizem me amar. Talvez eu esteja só exausta, doente, precisando de cuidado, precisando descansar, e descansar mais em Deus também. Isso basta!

“Dá força ao cansado, e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor.” Isaías 40:29

}ï{

Anúncios

Sobre a dona do blog

Pecadora redimida por Aquele que morreu na cruz e ressurgiu. "Pois ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó." Salmos 103:14
Esse post foi publicado em Confissões e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s