Dorgas Manolo!! (parte II)

Foto by Lola. Olha a dorga! Olha a dorga! Quem vai querer?!

Pois é, eu tomo tudo isso sim. Odeeeeeio tomar remédio! Mas é um mal necessário porque eu tive crise violenta e coisa e tal, e qualquer psiquiatra responsável se dedica a prevenir qualquer recaída nos meses após a crise. Mas é quase um salário mínimo em medicação psiquiátrica todos os meses.

Um desses aí é mais de 200 pilas aqui no Brasil e eu  preciso de 2 caixas/mês, daí apela-se para o genérico de cento e poucos reais. Eu só tenho 28 anos e às vezes não parece justo que eu precise tomar remédios como uma pessoa idosa. Minha avó tem 70 anos e toma menos comprimidos diariamente do que eu, e nenhum dos que ela toma é pra transtorno mental. Graças a Deus!

Faltou aí na foto o anticoncepcional, mas eu não tomo para evitar filhos, dããã! Só não posso ter ciclo ovulatório mensal como toda mulher normal por causa das alterações de humor do ciclo mentrual e outros entraves, que afetam muito minha saúde e meu tratamento, e eu já tenho coisa demais pra lidar. Isso me lembra que eu sou quase normal e que me sinto quase uma aberração, o que me deixa quase deprimida só de escrever.

Lembrei de uma amiga (pelo menos pra mim era) que uma vez, por telefone, esbravejou comigo: Você não é doente! Você não é doente! Você não tem doença nenhuma! Às vezes dá vontade de ir lá agora, pegar a cara dela e esfregar em cada uma das caixas de medicação que eu tomo ou levá-la à alguma das minhas consultas psiquiátricas. Mas coitada! Ignorante no assunto, né?! Justificado está. E a bem da verdade, eu daria todo ouro do mundo pra ter a saúde mental dela.

A esperança de paciente, médico e família é que as doses baixem com o tempo, que alguns remédios saiam de cena e a vida fique mais normal do que quase normal. Mas é difícil ter esperança às vezes quando se tem recaídas, crises mais fortes, necessidade de ajustar dose ou trocar remédios como foi dessa última vez que, depois de 3 anos bem, meu cérebro me quebrou as duas pernas de novo. Lá vamos nós de volta à estaca zero! Doença mental é assim mesmo, dá muito trabalho.

Tudo isso é física, mental e emocionalmente desgastante, corrói a esperança, balança a fé e fragiliza quem já carrega uma cruz bem pesadinha. Há dias em que odeio os remédios e tomo quase chorando, mas há dias em que morro de medo de ficar sem eles. Mas eu sempre me esforço pra ter fé no meu Deus, descansar em Seus ombros (que são bem largos) e me consolar nEle, que nunca me deu uma carga maior do que a que eu pudesse carregar. É nisso que eu me agarro e renovo minhas forças pra arrastar essa bendita cruz. Se é assim que tem que ser, então que assim seja! }ï{

Anúncios

Sobre a dona do blog

Pecadora redimida por Aquele que morreu na cruz e ressurgiu. "Pois ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó." Salmos 103:14
Esse post foi publicado em Confissões, Fotografias e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Dorgas Manolo!! (parte II)

  1. Jardeson Amorim disse:

    Te amo sua chata!!! kkk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s