Lucubrações

Encantamento e chavascais

Não poderia deixar de compartilhar um texto que me foi apresentado por um dos meus “anjos humanos”. São palavras muito significativas que claramente mostram alguém que está se enxergando como é, não sei se pela primeira vez ou mais uma vez na vida. É importante sempre lembrar quem somos e de quem dependemos. É doloroso e ao mesmo tempo um alívio quando reconhecemos nossa natureza, nos deparamos com todas as deficiências inerentes à alma humana e nos colocamos em nosso devido lugar, que é debaixo da poderosa mão do Senhor.

“Senhor, eu sou o que Tu sabes que sou: um pecador; o pior de todos os pecadores!
Faço ou reajo muitas vezes ao que odeio, e não raro passo omisso por caminhos nos quais deveria parar e ficar. Subitezas ainda me assolam, e assusto-me comigo mesmo. 

Posso ter revelação e a seguir uma cogitação que não procede de Ti.
Posso abençoar a um e maltratar a outro, sabendo ou não disso.
Há uma espada e um algodão encharcado de bálsamo em minha língua.

Por vezes sinto que a espada vence o poder do bálsamo, embora seja pelo bálsamo que meu ser anele sempre.
Peço a Ti perdão aos que magoei ou possa ter indevidamente magoado!
Rogo ao Teu Santo Espírito que transformes todo o mal que minha existência possa ter causado a qualquer pessoa, amiga ou não, em benção e Graça.

Conheço o meu pecado.
Sou filho de trovões, de trombas d’água e de precipitações torrenciais.
Nesta floresta que sou há encantamento e chavascais.
Senhor, perdoa a minha alma, enche-me da Tua alegria, e faz-me ver a alegria de todos a quem eu possa ter ofendido neste mundo.

Esta é a oração que sei que o Teu Espírito ora em mim!
No Nome que está sobre todo nome, e que tem poder de quebrar toda seta maligna, peço a vitória da Tua misericórdia!”
(Caio Fábio)

}ï{

Anúncios