Lucubrações

Aquietai-vos!

Quanta  coisa acontecendo! Quanta angústia, perversão, distorção e relativização da verdade. Vivemos entre perseguições contundentes e sedução sutil, entre filosofias sorrateiras e violência gratuita. Não acreditam que é o princípio das dores e só se ocupam em encher o ventre e o ego, em acumular elogios e/ou bens. Andam por aí fazendo alguma diferença na vida alheia simplesmente pelo gozo do poder que isso lhes traz e não por altruísmo verdadeiro. Quantos destroem a própria vida por fama e reconhecimento e atendem apenas as próprias necessidades sem compaixão pelo outro. Isso tudo é desgastante e às vezes é preciso se poupar. Graças a Deus existe a quietude do descanso. Respira, recupera a força e continua.

“Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus; serei exaltado entre os gentios; serei exaltado sobre a terra.” Salmos 46:10

}ï{

Anúncios
Confissões

Deus nunca deixou de ser Deus

Cruz

Seja o que for
que tenha ocorrido,
por mais brutal e doloroso
que tenha sido,
Deus não deixou de ser Deus
e não é homem para que minta.
Se Ele promete
vida com abundância e cura para as feridas,
abundância de vida viveremos
e cura das feridas é o que teremos.

É uma cruz/ é um Ballet /é um bailado de dedo quebrado /não… de pé esfolado/ é um dinheiro devido…É MEU DINHEIRO BANDIDO/ é uma motoca/ pra voar baixo/ é uma criança assustada/ não… anestesiada/paralisada/muda de medo/ o medo da muda/ é a doença de pele/ criança vai na pele/ é doença de garganta/ criança vai na garganta/ é unha roída/ criança vai na unha/ é um monstro/ outro monstro/ é uma monstra/ mais um monstro/ É UMA CRUZ VAZIA/ é uma mãe/ é nem aí/ é um trabalho/ é um “tchau”/ é um “já volto”/ é nem aí/ é dorme aqui/ nem aí/ é dorme ali/ NEM AÍ/ é parente/ “fica aí”/ é sente só/ sente-se só/ só sente só sente/ e sente sente sente/ 😥 /é vive só aqui/ é só vive ali/ é VOLTA PRA CASA/ tem nem pra onde ir/ é trabalho/trabalho/trabalho/trabalho/traBAAAALHOOO/ é faculdade/ mais faculdade/ e mais faculdade/ e outra faculdade/ mas tranca aqui/ se arrasta ali/ desiste cá/ termina lá (pra que terminar lá?)/ é vem cá vem cá/ psicolouca/ vem cá vem cá/ deixa eu te amar/ psicolouca/ é aula/ é a aula/ trabalho artigo prova aula seminário/ e o outro trabalho/é a “histeria”/ no mais profundo do meu ser?/ TU SENTE O QUE???/ VEM CÁ VEM CÁ PSICOLOUCAAAA/ é o pânico/ no fundo da tua alma/ SENTE O QUE?/ nada falta/ nada falta/é depressão/ é euforia/ É A CRUZ PESADA/ é o futuro/ é a dormência/ é o presente/ é a demência/ é o amor/ é a carência /é a carência de ar/ tu tens que estudar/ se não vai ser só LOUCA e não PSICOLOUCA/ louca não/ MEU DEUS/ OLHA DO CÉU/ arruma aqui/ arruma ali/ a demência/ tira tira/ o remédio/ tira tira/ a saúde/ ME DÁ! ME DÁ! ME DÁ! ME DÁÁÁÁÁ!!!!/ não dá!

Tá bom então/ Amém/ essa vida viveremos/ e essa cura
cuidado teremos/ vai ficar tudo bem/ é zolpidem/
DEUS NÃO DEIXOU DE SER DEUS/
É A CRUZ VAZIA/
vai ficar tudo bem.

“O que digo, não o digo segundo o Senhor, mas como por loucura” II Coríntios 11:17 a

}ï{

Confissões, Lucubrações, Vlogs

Corrida, felicidade e vida

Viva e feliz! Apesar da crise, apesar do cansaço, apesar da cara, apesar de tudo. Pois a felicidade é um estado permanente que independe das mazelas temporárias da nossa existência, como surtos, cansaço, agressividade, desânimo ou abatimento. Aliás, o bom e o ruim fazem parte da plenitude da vida. Felicidade não é necessariamente cruzar a linha de chegada das conquistas pessoais ou o ato de subir ao pódio com seus metais preciosos pendurados ao pescoço. Felicidade é a carreira veloz, ou a marcha moderada, ou a lenta caminhada. Felicidade é muito mais o caminho sendo percorrido do que o local onde se chega.

Estar vivo e ser feliz é o “ir” e não obrigatoriamente o “chegar”. Onde está o pódio em que as pessoas querem subir? Quais são os louros que cada um deseja? Se eu receber meus louros, vou depositá-los aos pés dAquele que merece o mais alto degrau em todos os pódios. Ainda que eu tenha que parar para descansar de vez em quando, ainda que eu caia e precise me tratar, ainda que um obstáculo me atrase, continuo indo. E vou na velocidade de caminhada, marcha ou carreira que me for permitida pelas minhas capacidades e limitações. E há tanta vida e tanta beleza pelo caminho, que os louros são apenas detalhe e consequência de um trajeto feito com paciência, cuidado e dedicação ao aprendizado. Um trajeto cheio de felicidade, apesar de tudo.

“Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.” Filipenses 3:14

“Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira.” Atos 20:24 a

}ï{

Lucubrações

Meu Castelo

Já vi escrito em vários lugares a frase “Guardo todas as pedras do meu caminho. Com elas construirei meu castelo“. Sinto pelos que precisam guardar as pedras que encontram pelo caminho de suas vidas para que possam, um dia quem sabe, erguer um castelo. Quantas pedras serão necessárias juntar para construir um castelo decente? Que castelo será esse? Qual o seu tamanho? Sobre qual alicerce será erguido? Será como uma fortaleza ou como aqueles que fazemos (ou tentamos fazer) com a areia da praia? Em tempos de guerra precisamos de uma fortaleza bem construída, segura, com muralhas firmes, portões resistentes e fundamentada sobre rochas. Em tempos furiosos como os que estamos vivendo, nos quais chamam o certo de errado e o errado de certo, nos quais a relativização da moralidade já está passando dos limites suportáveis, precisamos desesperadamente de refúgio. Será que conseguimos sozinhos, com quaisquer pedras, construir castelos confiáveis para nós mesmos?

Com olhos marejados e nó na garganta escrevo. Lágrimas e engasgo pelo muito desprezo que vejo aos alicerces mais firmes, pelo total repúdio às fortalezas que podem nos abrigar da desgraça, pela cruel zombaria contra o que há de mais seguro e certo no universo. Desde a existência dos seres viventes, celestiais e terrenos, aliás, desde uma eternidade até a próxima eternidade há uma Fortaleza já construída, um Castelo que não se abala, um Castelo que não é prisão, é proteção contra as flechas que zunem no ar e espadas que tinem lá fora. Deus, que segurança podem ter os seres viventes fora do Teu abrigo? Os cegos que julgam ver claramente, os seres sem afeição que se consideram tolerantes, amantes de si mesmos e não do próximo como tentam convencer a si próprios e aos demais humanos. Aliás, humanos? Que humanidade há por aí? Seres humanos atualmente praticam atos dignos de demônios – assassinar bebês indefesos, por exemplo.

Na verdade me parece que os demônios já são aprendizes de uns que se intitulam humanos, tamanha tem sido a sanha pelo mal que estes tem demonstrado. Ao serem confrontados com sua própria perversão de alma e com seu próprio egoísmo, muitos se debulham em justificativas. Serem donos(as) de si mesmos(as) é o argumento mais utilizado por quem se vê de cara com seu pecado. Para não terem que assumir “Eu sou perverso(a)!”, “Eu sou assassino(a)!”, “Se eu quiser matar, eu mato!”, filosofam sobre a afirmação de seus corações enganosos: “Eu sou dono(a) de mim mesmo(a), portanto tenho o direito de fazer o que eu bem entender!“. Constroem seus castelos filosóficos cheios de ódio mascarado de alguns direitos humanos. O direito à vida, por exemplo, assiste aos vivos e já paridos. Porém, de acordo com a conveniência, não pode servir aos humanos que só não foram paridos ainda, mas que já estão vivos. Incoerência pouca é bobagem.

Em tempos de seres que já nem sei o que são, tempos em que não poucos constroem castelos de areia sobre mais areia, só posso ser grata por ter uma fortaleza, A Fortaleza. O meu Castelo Forte para o qual eu posso correr, onde posso me refugiar, e onde certamente há uma mesa posta para mim. Martinho Lutero, em tempos furiosos e de perseguição a tudo o que é de Deus, se refugiou em um castelo para escapar da morte da qual estava jurado. Ele bem soube o que é a angústia e o sofrimento de ver quem se ama sendo vilipendiado, desprezado, escarnecido. Ele bem sabia que a perseguição não era a ele, mas ao Criador dele. Do meio da tristeza, das lágrimas, mas também da esperança, surgiu um dos mais belos louvores, que até hoje tem sido entoado em várias versões e em diversos idiomas por aqueles que amam a Deus e que aceitam Seu refúgio seguro. Nem o nó na garganta que a podridão do mundo tem me causado esses dias podem me impedir de cantar em gratidão pelo meu Castelo eterno.

 

Castelo Forte
Por Martinho Lutero (letra original traduzida do alemão)

Uma poderosa fortaleza é o nosso Deus/ Boa defesa e armas de ataque;
Ele nos ajuda a libertar de toda a angústia/ Que a nós tem agora afetado.
O velho inimigo, o mal/ Agora significa desgraça mortal,
Ele tem poder grande e é muito esperto/ Sua defesa é cruel,
Na Terra não há igual.

Com o nosso poder nada pode ser feito/ Estamos muito perto de perder;
Mas há um Homem certo para esta disputa/ A quem o próprio Deus elegeu.
Pergunta você: “Quem é este?”/ Seu nome é Jesus Cristo,
O Senhor dos Exércitos/ E não há nenhum outro Deus,
Ele manterá o campo.

E Se o mundo estiver cheio de demônios/ Que nos querem devorar,
Não tenhamos, portanto, tanto medo/ Teremos sucesso ainda.
O príncipe deste mundo/ Quão terrível se faz,
Porém ele não poderá fazer nada/ Pois já está julgado,
E uma pequena palavra pode derrubá-lo.

A Palavra ainda ficará/ Permaneçamos grato por ela;
E Ele estará a vontade sobre a situação/ Com Seus dons e o Espírito.
Que levem o nosso corpo/ Os bens, a fama, crianças e esposa;
Pois embora tudo isso vá/ Eles não têm nada a ganhar,
Mas o Reino será nosso.

“Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará” Gálatas 6:7

}ï{

Lucubrações

Paciência

“Não vou te dar nenhuma orientação, pois eu acho que você não precisa. Você tem conseguido lidar. Você já sabe de cor e salteado.”

Ouvir isso de uma psicóloga maravilhosa na última sessão de terapia (aquela da negociação com o psiquiatra), simplesmente não tem preço! Só corrobora meu pensamento de que o ser humano pode sim adquirir autoconhecimento através da confiança na sabedoria e na provisão que Deus pode dar, através da consciência sobre a função que o sofrimento desempenha na vida e através de paciência, muita paciência! Demorei para aprender que o doente sofre e se lamenta, mas quando busca informações e ajuda ele não é mais só um doente, ele se torna um paciente. Alguém que espera pacientemente pela cura, pela melhora, pela remissão, pela manutenção de uma boa qualidade de vida, pela saúde do corpo e da mente, pela partida da dor, pela compreensão alheia que nem sempre vem logo. Cedo ou tarde, pela graça e misericórdia de Deus, o que precisa ir embora vai, e o que precisa chegar chega. E nada nessa vida vem ou vai fora de hora. As coisas difíceis só vão embora depois de nos aperfeiçoar, e as boas não chegam antes de estarmos preparados para recebê-las. É só fazer sua parte, confiar que Deus fará a dEle e esperar com paciência.

“E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, e a paciência a experiência, e a experiência a esperança. Romanos 5:3-4.

“Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma.” Tiago 1:4.

}ï{

Lucubrações

Oração do Bipolar

Senhor,
Eu pedi equilíbrio
E me destes Carbolitium
Eu pedi ânimo
E me enviastes Fluoxetina
Eu pedi paciência
E recebi um Anti-Psicótico
Eu pedi calma
E me viciei em Rivotril!
Eu pedi alguém para me ouvir
E encontrei um Psiquiatra
(por 50 minutos semanais)
Eu pedi para nunca estar só…
Realmente, esses efeitos colaterais
Estão sempre comigo.
Eu pedi uma motivação
Para seguir adiante
E recebi a imensa conta para pagar
Todas as dádivas acima…
Mestre,
Como é bom ter tão pouco a pedir
E tanto a enlouquecer…

por Andreza Schlischting

orando

Tomei e ainda tomo remédios mas não Fluoxetina, como cita este poeminha gracioso, tampouco me viciei em Rivotril. Também já visitei psicoterapeuta umas vezes e visito o psiquiatra a cada bimestre. Apesar de tudo que já superei e de todo o tratamento, não estou livre de apresentar crises e ter surtos. As crises já foram encaradas por mim como sinal de derrota, como se todos os êxitos anteriores não significassem nada. As crises já me fizeram sentir hipócrita por dar motivação aos outros dizendo ser possível vencer um sofrimento mental, enquanto eu ainda padeço dele. Que bobagem ter me sentido assim! Cura não significa somente se ver livre da enfermidade. Cura também é quando se consegue ser feliz apesar da enfermidade. E eu consigo!

Sou grata a Deus por ter o Espírito Santo que me dá consolo espiritual. Sou grata a Deus por ter hoje consciência suficiente para entender que crises eu terei sempre, umas mais pesadas e outras mais leves, umas de mania e outras de depressão, umas de fúria e outras de apatia. Este mesmo Espírito que me consola também me dá discernimento para eu enxergar as crises como um freio necessário na minha vida e prenúncio de mais uma vitória. Surto não é sinal de derrota, é apenas sinal de que preciso parar para apertar os parafusos quando estiverem fazendo barulho a ponto de me atrapalhar. Só isso! A eternidade talvez seja curta para agradecer a Deus por Suas misericórdias em minha vida. Precisarei da eternidade para dar graças pelos milagres que Deus me tem feito, inclusive aqueles que eu só consigo ver por causa de crises e surtos que ainda tenho.

“Os teus votos estão sobre mim, ó Deus; eu te renderei ações de graças;” Salmos 56:12

}ï{