Confissões

Me amem ou me odeiem. Não quero meio termo.

Leiam meu Twitter, meu Facebook, meu Blog, me escutem, me vejam, pensem, comentem, falem bem, falem mal, falem bem na minha frente e depois falem mal pelas minhas costas, compartilhem, odeiem, amem, elogiem, critiquem, esperneiem, estrebuchem, sufoquem, julguem, compadeçam-se, contem para seus pais e suas mães, contem para seus pastores, mostrem para seus amigos e irmãos, tirem conclusões sem me conhecer, percam-se sem saber porque eu faço o que eu faço ou falo o que falo ou escrevo o que escrevo, morram, me tomem como inimiga, danem-se, me tomem como amiga, gostem, desgostem, ponham a carapuça, ignorem se quiserem, me acalmem, me irritem, me matem, tanto faz… mas me deixem em paz. Deus é quem sabe das minhas dores e se não ajudam, pelo amor de Deus não atrapalhem!

Às vezes dá vontade de ficar assim. O bom é que vontade passa e Deus me dá  força pra continuar subindo.

}ï{

Anúncios
Lucubrações

“… só.”*

Muitas vezes somos levados a pensar que o vigor da vida está na agitação, nos tumultos. Erramos! Necessitamos obter a força em momentos de quietude. Para que um lago reflita o céu, precisa estar plácido. Nosso Senhor Jesus Cristo amava muito estar com as pessoas mas por vezes vemos os relatos de que Ele se retirava para orar sozinho. Nos deixou o exemplo de que aqui e ali precisamos fugir da multidão e retomar a arte da meditação, da contemplação da beleza. Que possamos, em meio ao agitado mundo de hoje, encontrar o nosso lugar secreto, o nosso cantinho de silêncio, para onde possamos nos retirar e estar à sós com o Criador desfrutando de Sua bendita presença e contemplando Suas riquezas espirituais. Como será salutar às nossas vidas se aprendermos cultivar o hábito do silêncio!

“E, despedida a multidão, subiu ao monte para orar, à parte. E, chegada já a tarde, estava ali só.” (Mt 14:23)

* Escrito por mim para o blog micronacionalista “A Alvorada Imperial” em Domingo, 28 de dezembro de 2008.

}ï{